INTITUTO HISTÓRICO E GEOGRÁFICO DE GETULIO VARGAS

Fundado em 14 de junho de 1995

terça-feira, 13 de agosto de 2019

Obra “Passo Fundo das Missões” ganha reedição


A obra “Passo Fundo das Missões: Estudo Histórico do Período Jesuítico”, escrita pelo jornalista e membro-fundador do Instituto Histórico de Passo Fundo (IHPF), Jorge Cafruni, ganhou uma reedição na última semana. Remetendo aos primórdios da história da região de Passo Fundo e a um capítulo importante da história do Rio Grande do Sul, o livro foi originalmente lançado em 1966, pela Editora “A Nação”, de Porto Alegre. Agora, ganha uma reedição por iniciativa da Prefeitura Municipal, com apoio do IHPF e da Academia Passo-Fundense de Letras.

Capa do livro publicado pela Editora
"A Nação" (Porto Alegre) no
ano de 1966. 


                        “Passo Fundo das Missões” narra a história dos jesuítas espanhóis que avançaram sobre o atual Estado do Rio Grande do Sul, fundando diversas reduções na primeira metade dos anos 1600, quando Portugal (e, por conseguinte, o Brasil) pertencia à Espanha. A obra tem como centro a Redução de Santa Teresa, em Passo Fundo. Inicialmente instalada entre as nascentes do Rio Jacuí e Rio Passo Fundo e logo mudada para o Rincão do Pessegueiro.
                        De acordo com o prefeito Luciano Azevedo, a realização é uma das contribuições do Município para os 162 anos de emancipação política de Passo Fundo e dos 53 anos do lançamento da primeira edição. “Assim como Cafruni, ao longo de suas pesquisas, também estamos olhando para os primórdios da nossa região, para Passo Fundo antes de ser Passo Fundo, focando em acontecimentos do século XVII, mais de 380 anos atrás’’, esclarece.
                        O presidente do IHPF, Fernando Miranda, comenta que o material produzido pelo jornalista Cafruni é uma fonte de pesquisa ainda pouco compreendida. “Optou-se pela manutenção dos termos próprios do autor, isto é, em sua escrita original, preservando as normas ortográficas vigentes à época, tal como se escolheu reproduzir o mais fidedignamente o formato e as ilustrações da capa”, esclarece.

Sobre o autor

                        Jorge Edeth Cafruni foi jornalista, romancista e historiador. Nasceu em Porto Alegre em 08 de agosto de 1913, filho dos imigrantes libaneses Adala Kafruni e Marta Hadad Kafruni. Após o falecimento de seu pai, teve que abandonar os estudos e trabalhar. Casou-se em 9 de julho de 1941 com Rita Menna Barreto Maurmann, em Passo Fundo. Já estabelecido em Passo Fundo, Cafruni foi caixeiro-viajante nos primeiros anos da década de 1940, passando, após isso, a dedicar-se ao jornalismo. Trabalhou na redação do jornal O Nacional, foi redator de debates da Câmara Municipal e da Rádio Passo Fundo, diretor da Rádio Municipal e chefe de Gabinete do prefeito Mário Menegaz (1964-1968). Além disso, foi o idealizador do Instituto Histórico de Passo Fundo (IHPF), criado em 1954. Autor de diversas obras literárias e históricas, entre elas Auroras e Crepúsculos (1948), Irapuã (1951) e Passo Fundo das Missões (1966), Cafruni faleceu em Porto Alegre no início da década de 1970.

Fonte: site do jornal O Nacional



segunda-feira, 17 de junho de 2019

Painéis utilizados no certame para a escolha da Corte dos 85 Anos de Getúlio Vargas passam a integrar o acervo do Instituto Histórico


Durante encontro realizado no auditório José Vespasiano Predebon, da Acias, na quarta-feira (12), a direção da entidade entregou para o presidente do Instituto Histórico e Geográfico de Getúlio Vargas os painéis confeccionados para o desfile de rua realizado durante o certame para a escolha da Rainha e Princesas dos 85 anos do município de Getúlio Vargas.
As Princesas dos 85 Anos do município, diretores da Accias, do IHGGV.
e integrantes da Comissão dos Festejos de aniversário de emancipação
durante a entrega dos painéis (ao fundo). 

O empresário João Oleksinski Andrade, presidente da Accias oficializou
a entrega dos painéis com  as fotografias históricas utilizados durante
o certame para a escolha da Corte dos 85 Anos de Getúlio Vargas,. 
Em nome do Instituto Histórico o professor Neivo Angelo Fabris agradeceu. 


                        Dez  painéis, ilustrados com fotografias que representaram as décadas de 1930, 1940, 1950, 1960, 1970, 1980, 1990, 2000, 2010, e do tempo presente, apresentados ao público durante o desfile de rua e da exposição dos darros antigos do Veteram Car Club e Car Shop passam a integrar o acervo do IHGGV. Os displays, levam a assinatura da Agência Smart. 
                        O presidente da Accias, João Carlos Oleksinski de Andrades, oficializou a entrega do conjunto de displays ao professor Neivo Angelo Fabris, presidente do  Instituto Histórico e Geográfico de Getúlio Vargas. Também participaram do ato as princesas eleitas, Caroline Guizzo e Bruna Pereira da Silva, o prefeito Maurício Soligo, integrantes da comissão organizadora do concurso e diretores da Accias.





3ª Semana Nacional de Arquivos - Mais de 250 pessoas participaram da programação local


O Instituto Histórico e Geográfico de Getúlio Vargas participou da 3ª Semana Nacional de Arquivos ocorrida entre os dias três e nove de junho. Promovido pelo Arquivo Nacional e Fundação Casa de Rui Barbosa, contou com a parceria de mais de 200 instituições de todas as Unidades da Federação. O tema deste ano foi “Desenhando Arquivos”.


Abertura oficial do evento na noite de terça-feira (04)

Neivo Angelo Fabris, Poliane Rosa e  Luciana Wietchikosk,
durante a mes redonda que abordou o tema Arquivos
como fonte de pesquisa histórica. 

Professores e alunos da Escola Municipal Pedro Herrerias
atenderam o convite para a solenidade de abertura
e mesa redonda. 

Exposição de parte da Hemeroteca do IHGGV dur4ante
a Semana Nacional de Arquivos realizada
no Centro Municipal da Cultura de
Getúlio Vargas,.

Na manhã de quarta-feira (05) os prefessore Neivo Angelo FAbris e
Isabel Lewinski, diretora da Biblioteca Pública Municipal,
receberam turmas da Escola Municipal Antônio Zambrinski. 

Professores e estudantes da Escola Estadual Padre Manoel da Nóbrega
durante a visita a exposição e ao Museu Histórico. O grupo
foi recebido e acompanhado pela professora
Isabel Lewinski, diretora da Biblioteca Pública. 

                        Como na edição passada o evento local foi realizado no Centro Municipal da Cultura, que abriga a sede do IHGGV. Na abertura ocorrida na noite do dia quatro de junho, com a presença de associados, professores e alunos da Escola Municipal Pedro Herrerias, foi realizada uma mesa redonda.
                        O professor Neivo Angelo Fabris coordenou os trabalhos e discorreu acerca do jornal como fonte de pesquisa histórica. Poliane Rosa, graduada em História e mestranda pelo PPG Interdisciplinar em Ciências Humanas pela UFFS-Erechim abordou o tema IHGGV: diálogos com a história da historiografia. E Luciana Wietchikoski, graduada em História (UPF), Mestre e Doutora em Ciência Política (UFRGS) relatou sua experiência acadêmica em arquivos históricos.
                        Durante o evento foi exposta parte da Hemeroteca da entidade, com jornais editados no município ainda antes de sua emancipação. Na manhã de quarta-feira (05) diversas turmas de alunos da Escola Municipal Antônio Zambrinski visitaram a exposição. O grupo foi recebido pela professora Isabel Lewinski, diretora da Biblioteca Pública Municipal Dr. Léo Stumpf, e pelo presidente do Instituto Histórico. Na sexta-feira quatro turmas da Escola Estadual Padre Manoel da Nóbrega também marcaram presença.

sexta-feira, 31 de maio de 2019

3ª Semana Nacional de Arquivos - Instituto Histórico de Getúlio Vargas é novamente parceiro


Acontece em todo o Brasil, de 03 a 08 de junho de 2019, a 3ª Semana Nacional de Arquivos. A iniciativa é uma das ações previstas no Plano Setorial de Arquivos (2017-2027), elaborado pelo Colegiado Setorial de Arquivos do Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC) do Ministério da Cultura.


                        Como na edição anterior o Instituto Histórico e Geográfico de Getúlio Vargas (IHGGV) está entre as centenas de entidades a participar do evento. Inspirado no tema “Desenhando Arquivos”, escolhido para este ano, o IHGGV vai realizar na sede da entidade, localizada no Centro Municipal da Cultura, uma exposição de jornais. Os visitantes poderão conhecer os periódicos que integram a Hemeroteca: O Erechim – Chico Tasso – O Município de Getúlio Vargas – O Getuliense - Panorama – Realidade – Diário da Manhã – A Voz da Serra Getúlio Vargas – A Folha Regional – O Povo – Tribuna Getuliense, entre outros.

A Hemeroteca do IHGGV disponibiliza pra pesquisajornaiseditadls
na cidade de Getúlio Vargas desde o século passado. 

                        A mesa redonda programada para as 19h30min de terça-feira (04) será aberta ao público. O jornal como fonte de pesquisa histórica será abordado pelo professor Neivo Angelo Fabris, presidente da entidade. IHGGV: diálogos com a história da historiografia será o tema tratado por Poliane Rosa, graduada em História e mestranda pelo Programa Pós-graduação interdisciplinar em Ciências Humanas na UFFS – Erechim. Luciana Wietchikoski, doutora e mestre em Ciência Política pela UFRGS, e graduada em História pela UPF vai discorrer sobre Experiência acadêmica em arquivos históricos.


                        A data da Semana Nacional de Arquivos se refere à semana em que se comemora o Dia Internacional dos Arquivos – 9 de junho e esta é uma data estabelecida pelo Conselho Internacional de Arquivos (ICA) em homenagem aos arquivos, fazendo parte de um calendário internacional. Além disso, o ICA lança um tema diferente a cada ano para inspirar os eventos. O deste ano é Desenhando Arquivos.



sexta-feira, 10 de maio de 2019

Turma da E. M. E. F. Aurélio Castelli visitam a entidade

Visita a Biblioteca e a Hemeroteca da entidade. 



A Ferrovia no processo de ocupação da região do Sertão do Alto Uruguai
foi o tema apresentado aos visitantes. 

Visita ao Museu Histórico


A turma do 4º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Aurélio Castelli, de Estação, esteve no Instituto Histórico na manha da última sexta-feira (03). Acompanhados das professoras Juciene Lemos e Rocheli Morais, eles foram recebidos pelos professores Neivo Angelo Fabris e Rosmari Krasuski Vanzo.
                        Atendendo a solicitação das educadoras, o presidente da entidade cultural falou sobre a importância da ferrovia no projeto de colonização realizado no início do século passado. Através de exposição oral e exibição de fotografias e mapas se buscou complementar os estudos realizados em sala de aula.
                        Para as professoras Juciane e Rocheli, o conhecimento da história, e sua evolução social econômica e cultural são determinantes para a valorização do local aonde se vive. De todo o modo do pensamento crítico e reflexivo e o que se pode fazer para melhorar.
                        Na sequencia a secretaria do IHGGV apresentou o acervo bibliográfico, a hemeroteca e falou sobre o Projeto Memória Oral Getuliense. O grupo também pode conhecer o acervo do Museu Histórico Municipal.

terça-feira, 16 de abril de 2019

Fundação Casa de Rui Barbosa e Arquivo Nacional organizam 3ª Semana Nacional de Arquivos







O Instituto Histórico e Geográfico de Getúlio Vargas já está inscrito na 3ª Semana Nacional de Arquivos que acontece entre os dias 03 e 08 de junho. Como na edição de 2018 o evento local será aberto a comunidade. A programação será divulgada nos próximos dias neste blog e também na imprensa do município de Getúlio Vargas. 

                              Organizado pela Fundação Casa de Rui Barbosa (FCRB) e o Arquivo Nacional (AN), o evento, inserido no calendário internacional de celebração do dia Internacional dos Arquivos (9 de junho), objetiva aproximar as instituições da sociedade, aumentar sua visibilidade e divulgar os valiosos trabalhos desenvolvidos.
                              Nesta edição, o tema proposto pelo Conselho Internacional de Arquivos (ICA) é Desenhando Arquivos. As instituições interessadas em integrar a Semana devem programar um ou mais eventos (exposições, visitas mediadas, rodas de conversas, palestras, exibições de filmes, espetáculos artísticos), a critério das entidades participantes. As inscrições já foram abertas e podem ser feitas até 03 de maio.

quarta-feira, 26 de setembro de 2018

Roteiro de estudos em Getúlio, Estação, Erebango e Quatro Irmãos


Iniciativa do IHGGV e do Curso de História da UFFS – Erechim

Com o objetivo de ampliar e difundir os estudos do passado regional o Instituto Histórico e Geográfico de Getúlio Vargas e o Curso de História da UFFS-Erechim realizaram na tarde de sábado (15) um roteiro em quatro municípios. Na pauta a região Norte do RS no contexto da Guerra Civil de 1923, o Combate na Fazenda Quatro Irmãos, e o projeto de colonização realizado pela Jewish Colonization Association (ICA) entre 1911 e 1962.

A Guerra Civil de 1923 e o Combate na Fazenda Quatro
Irmãos abordados na abertura do encontro
na sede do IHGGV. 

O professor Neivo Angelo Fabris entrega algumas
publicações do IGGV a professora Isabel Rosa
Gritti, da UFFS-Erechim. 

Além da biblioteca e da hemeroteca os acadêmicos do Curso de
História da UFFS-Erechim conheceram o Museu
Histórico mantido.

Registro feito apos a visita ao Cemitério do Combate, localizado no
interior do município de Erebango. 

Em Quatro Irmãos o grupo visitou o Centro Cultural, antigo Hospital
Leopoldo Cohen. 

No sobrado do histórico prédio o Memorial da Imigração Judaica. 

Detalhe do portão do Cemitério Judaico de Quatro Irmãos. 

O encerramento do dia de campo se deu no Cemitério Judaico de Quatro Irmãos. 

                        A abertura dos trabalhos se deu na sede do IHGGV no início da tarde. O presidente da entidade, professor Neivo Angelo Fabris, falou inicialmente sobre o trabalho realizado pela entidade que em junho completou 23 anos. Os motivos e desdobramentos da chamada “Revolução de 1923”, foi outro tema trabalhado O Combate ocorrido no interior da Fazenda Quatro Irmãos no dia 13 de setembro daquele ano, entre a força revolucionária do Gal. Felipe Nery Portinho e governistas do Cel. Victor Dumoncel Filho também foi abordado.
                        Na passagem pela cidade de Estação destaque para o histórico prédio que inspirou o nome do município. Em Erebango a Estação Ferroviária também foi visitada. A terceira parada ocorreu no Cemitério do Combate, no interior do município, que pela sua importância foi tombado pelo Patrimônio Histórico de Erebango.
                       
                        O roteiro teve continuidade em Quatro Irmãos, sede do município conhecido como Cidade-Símbolo da Imigração Judaica no Brasil. No prédio do Hospital Leopoldo Cohen, fundado em 1932, e que hoje abriga o Centro Cultural e o Memorial da Imigração Judaica e a Secretaria de Educação e Cultura, foi visitado. Num dos seus auditórios a professora Isabel Rosa Gritti (UFFS) falou do seu trabalho de pesquisa que resultou na publicação da História da Imigração Judaica ao RS (Martins Livreiro), referência no estudo da presença desta etnia no sul do Brasil e dos projetos de colonização criados na primeira e segunda década do século passado.
                        A visita ao Cemitério Israelita de Quatro Irmãos ocorreu no final da tarde. Fundado no ano de 1913 e localizado atualmente no centro de uma plantação de eucaliptos, o local é mantido pela Sociedade Israelita de Erechim. Estima-se que no local estejam enterrados um total de 172 pessoas (84 homens, 71 mulheres e 17  crianças). Artigo publicado pelo jornalista Salus Loch revela que o registro dos últimos enterros teriam ocorrido  a quase quarenta anos.

Fonte: A FOLHA REGIONAL